Psicóloga Adriana Fernandes » Autoconhecimento » Autoestima, Um jeito carinhoso de autocuidado!

Autoestima, Um jeito carinhoso de autocuidado!

Por Adriana Fernandes   |   Publicado: 22/03/2019 às: 22:09   |   Atualizado: 03-09-20 às: 19:51

 

Mamãe, como anda sua autoestima?

 

Tem se falado muito nos últimos anos da importância do cuidado com as emoções, visto que, a mesma tem uma influência muito grande na vida das pessoas.

Muitas vezes, as pessoas se questionam, mas como irei cuidar das minhas emoções, dos meus sentimentos?

As mamães precisam estar muito atentas a esta questão justamente porque se doam tanto, se dedicam ao bem estar dos filhos e acabam esquecendo-se de si mesmas.

São tantos os afazeres não é mesmo? Cuidar da casa, dos filhos, levar criança para escola.

Muitas precisam até mesmo conciliar família e trabalho o que não é uma tarefa fácil.

Transforma-se diariamente na mulher multitarefas. E mesmo aquelas que trabalham fora e tem a ajuda de alguém para cuidar dos serviços domésticos, ainda assim, pesa sobre ela a responsabilidade de administrar o lar, acompanhar os filhos e cuidar da carreira.

Sabemos que hoje a participação dos homens no lar tem sido significativa.  Há homens que são verdadeiros parceiros de suas esposas, dividem as responsabilidades e tem participação direta na educação dos filhos, porém, essa não é a realidade da maioria das mulheres, pois muitas delas se veem sozinhas com uma grande “carga” nas costas.

Ás vezes a reclamação não é tanto em relação às muitas tarefas a serem realizadas, mas o desejo de serem amadas, cuidadas, respeitadas.

Essas mulheres que se doam tanto em prol do outro, quem cuida delas?

Esse texto é para você mamãe que sente toda essa responsabilidade nos ombros e que muitas vezes, precisa carrega-la nas costas sozinha.

É para você mamãe, que se doa tanto e talvez não tenha um ombro amigo para poder falar das coisas que faz doer o coração.

É para você mulher guerreira, verdadeira heroína que vive longe dos holofotes, mas que mesmo assim não deixa de fazer o bem, de suspirar por dias melhores.

Que sonha acordada e que faz tudo para que seus filhos se tornem homens e mulheres de bem.

Quero conversar um pouco com você sobre um sentimento muito importante na vida de qualquer pessoa e que tem uma grande influência sobre a visão que temos de nós mesmos e as escolhas que fazemos.

Que esse texto possa chegar até você como forma de carinho e que você seja despertada, incentivada a cada dia a olhar para dentro de si e descobrir suas potencialidades.

A você, todo o meu carinho e admiração.

 

 

O que é autoestima e porque ela é tão importante na vida das mamães?

 

Autoestima é a maneira pela qual uma pessoa se sente em relação a si mesma.

Uma pessoa com  autoestima  tem convicção da sua importância no mundo, do quanto ela pode contribuir como pessoa na construção de um mundo melhor.

A autoestima tem a ver com autoconfiança e autorrespeito.

 Dois sentimentos muito importantes e que estão diretamente ligados com uma autoestima positiva é a autoconfiança e o autorrespeito.

 

A autoconfiança É a crença que temos em nós mesmos. Entendemos que somos capazes de fazer, realizar, de tomar atitudes, de fazer escolhas mais assertivas. Quanto mais trabalhamos nossa autoestima mais nos sentimos adequados, criativos e confiantes.

O autorrespeito significa que tenho respeito por mim mesma, me valorizo como pessoa.

Quando tenho consciência da importância desse sentimento em minha vida não permito ser refém do outro. Sou livre para fazer escolhas que vão agregar valor a minha vida.

Tenho liberdade em dizer ao outro, aquilo que me incomoda, o que fere a minha existência, o que não me agrada ou não me faz feliz.

 

Autoestima elevada não é soberba, orgulho ou narcisismo.
 

Há pessoas que pensam que ter uma autoestima elevada possa ser prejudicial.

Nunca é demais ter autoestima, pelo contrário, quanto melhor. Exatamente porque esse sentimento não está relacionado à superioridade.

Uma pessoa de autoestima elevada não se sente superior ao outro em nada, pelo contrário, tendo consciência do seu próprio valor e espaço no mundo.  Procura construir com o outro uma relação saudável, onde ambos são beneficiados.

Não há disputa. Porque como reconhece o seu valor, sabe reconhecer o valor do outro, desenvolvendo assim o sentimento de empatia.

 

Os perigos da baixa autoestima

 

Os sentimentos da baixa autoestima é o contrário de uma autoestima elevada.

Uma pessoa com baixa autoestima sempre vive com um sentimento de inadequação. Não acredita em si mesma. Não tem confiança em tomar decisões e tem dificuldades de lidar com as intempéries da vida.

Não se sente importante e nem ao menos sabe que tem um lugar no mundo, que pode contribuir e muito na vida das pessoas.

Talvez, você mamãe, tenha sentimentos parecidos. Quem sabe eles não começaram lá na sua infância?

Mesmo que você não tenha tido uma autoestima positiva é possível mudar esse “quadro” em que você se encontra e procurar meios para melhorar sua autoestima.

 

Lembre-se, não nascemos com autoestima. Esse sentimento pode ser desenvolvido em qualquer fase da vida de uma pessoa.

Porém, como toda e qualquer mudança, você vai precisar de uma dose de paciência e determinação. É preciso estar disposta a fazer essa “viagem” que começa bem aí, dentro de você! Vamos lá?

 

Por onde começar?

 

Comece mudando a sua maneira de pensar, principalmente em relação a você. Entenda que você é importante e que tem o seu lugar no mundo.

A mudança precisa começar dentro da nossa cabeça. Duvide de pensamentos que coloque você para baixo, que te limite e comece a deixar os pensamentos positivos tomarem conta da sua mente.

Os pensamentos tem um poder muito grande sobre nossas atitudes, porém, quem determina se eles devem ir ou ficar, somos nós.

 

Procure conhecer mais sobre você…

Há várias maneiras de se autoconhecer, porém, o importante é que você esteja aberto para essa experiência. Ou seja, esteja atento a você mesmo. Comece a se perceber mais, a notar os detalhes que talvez você não tivesse tempo ou interesse em notar.

As pequenas coisas podem nos dar dicas valiosas sobre nós mesmos.

Por que será que gosto mais da noite do que do dia? Por que sou tão tímido ou tão hiperativo? Por que prefiro ficar sozinho ou cercado de pessoas?  Como você pode ver, são coisas simples, mas que podem nos ajudar a montar um “mapa” sobre nós mesmos.

 

Agora, para você refletir, cito cinco maneiras que podem ajuda-la nesse processo de autoconhecimento e busca por uma autoestima positiva.

 

  1. Questione-se. Quando vier um pensamento depreciativo ou que te deixa pra baixo, questione tal pensamento e se não for acrescentar em nada na sua vida, livre-se dele;
  2. Cultive pensamentos positivos. Sim aprenda a elogiar-se; comece a descobrir suas potencialidades, seus talentos;
  3. Conheça pessoas, faça amigos, se relacione;
  4. Acredite, os outros nos ajudam e muito a ter uma visão sobre nós mesmos. O que pode nos ajudar a trabalhar nossa própria imagem. Vale frisar que isso não significa ficar refém da opinião do outro.
  5. Se possível for conheça outros lugares, outras culturas. Será uma experiência rica e provavelmente irá ampliar o seu conhecimento sobre si mesmo.
  6. Um processo de psicoterapia pode lhe trazer grandes benefícios para seu processo de autoconhecimento e melhora de sua autoestima. Por que não tentar?

 

Como vimos, a autoestima positiva é de suma importância para termos uma vida bem sucedida.

A autoestima não nasce com a pessoa, ela começa a ser aprendida e desenvolvida desde a nossa infância até a fase adulta.

A autoestima é um processo contínuo na nossa vida, e tem grande influência na nossa maneira de ser e de ver o mundo.

Uma pessoa com autoestima positiva tem melhores condições de construir relações saudáveis e de lidar com as adversidades da vida.

 

Uma autoestima positiva é fundamental para uma vida satisfatória.

 

Para mantermos uma autoestima positiva, preciso conhecer mais sobre mim mesmo, trabalhar minhas potencialidades e entender que sou capaz de tomar decisões e fazer escolhas.

A mamãe que cuida da sua autoestima estará sendo um modelo positivo pra que as crianças desenvolvam uma autoestima positiva. Terá maior segurança ao conduzir os filhos nessa jornada tão importante para o desenvolvimento emocional e social das crianças.

Então, mamães, cuidem-se!

Quando o autocuidado se faz presente em sua vida, você também está cuidando dos seus filhos e de toda sua família!

 

 

 

 

Referências bibliográficas:

Branden, Nathaniel Como aumentar sua autoestima.

 

 

 

 

 

 

Deixe o seu comentário!*

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. LEIA OS TERMOS DE USO.

  • Especialidades

  • Pais e filhos

  • Autoconhecimento

  • Projetos

  • Contato

  • Adriana Fernandes da Silva
    CRP 04/39812

     

    Tel.: |31| 9 9722-0257

     

    Rua dos Guajajaras, 880
    sala 1701
    Lourdes
    Belo Horizonte – MG

     

    ATENDIMENTO

    Quintas-feiras
    das 08:00 as 12:00 e das 13:30 as 18:00.
    Sextas-feiras
    das 14:00 as 17:00.

     

     

  • Redes sociais

  • Facebook
  • Nome
    E-mail
    Telefone
    Mensagem

    Copyright © 2017-2020 - Psicóloga Adriana Fernandes