Psicóloga Adriana Fernandes » Pais e filhos » Como lidar com a birra?

Como lidar com a birra?

Por Adriana Fernandes   |   Publicado: 03/07/2020 às: 17:45   |   Atualizado: 30-10-20 às: 11:55

Birra são comportamentos que  costumam deixar os pais sem saber o que fazer.

birra

Os papais e mamães sabem muito bem o que é passar por essa situação. Basta os pequenos terem alguma necessidade ou desejo negado, que a tempestade se arma.

Às vezes, parece vir do nada. A criança estava bem, brincando e de repente a “estação” muda e os pais se sentem completamente perdidos.

Qual seria o motivo das crianças fazerem birra? Como os pais podem lidar com tais comportamentos?

O que precisamos entender de antemão é que não existem fórmulas mágicas. Crianças apesar de terem muita coisa em comum, precisam ser vistas como únicas, assim estaremos respeitando a sua individualidade.

Cada uma tem o seu jeito particular de ser e estão em famílias com valores e maneiras de se comportar diferentes.

Tratando-se de comportamentos, os pais podem aprender algumas habilidades que serão muito úteis na educação dos pequenos.

 

O que são comportamentos de birra?

Segundo o dicionário online de português, a palavra birra significa ação de quem permanece ou continua insistentemente em um mesmo comportamento, opinião, ideia, teimosia, entre outras. É consequência de quem contraria alguém por capricho, sem razão aparente, especialmente fazendo uma cena, chorando ou gritando.

Se tratando de crianças pequenas, na faixa etária entre um a cinco anos, precisamos tomar cuidado para não rotularmos a criança, achando que tais comportamentos tem exclusivamente a intenção de irritar os pais, de ser do contra.

A birra expressa uma necessidade, carência ou excesso, e para que os pais tenham uma real noção do que está acontecendo, sempre deve tentar entender o contexto da situação, ao invés de simplesmente rotular a criança ou ignorar o comportamento.

Por que isso pode ser perigoso? Ao rotularmos uma criança,ou ignorarmos  seu comportamento, não vamos no foco do problema e perdermos a oportunidade de ensinar a criança maneiras mais adequadas de expressar seus sentimentos.

Como lidar com os comportamentos de birra?

Para lidar com as birras da criança, acredito que a primeira coisa a ser feita  é uma mudança de mentalidade por parte do adulto.

Comportamentos de birra é sinal de que a criança está passando por uma situação pela qual não está dando conta, e que nós como adultos,precisamos ajudá-la a encontrar seu equilíbrio emocional.

Os pais devem olhar para o comportamento de pirraça do filho, e se perguntar: O que está acontecendo? Esse comportamento é intencional ou está me falando de uma necessidade  que meu filho está tendo dificuldade de lidar ou expressar?

Abaixo listaremos algumas questões que os pais precisam saber para melhor lidar com os comportamentos de birra das crianças.

 

*Conhecer um pouco sobre as fases do desenvolvimento infantil

Conhecer as fases do desenvolvimento da criança ajudará os pais a melhor compreender o comportamento dos seus filhos. Existem comportamentos  que são comuns em cada fase do desenvolvimento.

Nem tudo é falta de afeto por parte dos pais, ás vezes, um mau comportamento pode ter sido gerado por outras questões como:  sobrecarga de estímulo, tédio, tensões durante o dia, entre outras.

Os pais dessa geração tem uma facilidade maior do que os pais da geração passada no que se refere a disponibilidade de conhecimento nos livros e até mesmo na “internet” temas sobre desenvolvimento infantil, sem falar que hoje tem muito mais profissionais especialista em desenvolvimento infantil que podem melhor orientar os pais.

Ter conhecimento sobre as fases de desenvolvimento, poderá ajudar os pais a ficar mais tranquilos e confiantes ao saber que essas fases são passageiras, mas que precisam ser bem direcionadas.

 

*Entender que comportamento é uma forma de comunicação

As crianças pequenas também expressam suas necessidades através do seu comportamento. Se ela não sabe explicar ou falar de algo que ela não está dando conta de elaborar ou  expressar em palavras, irá fazer pelo seu comportamento.

É importante que os pais estejam atentos aos comportamentos dos filhos, e entender o que realmente está acontecendo.

 

*Aprender a analisar o contexto de uma determinada situação:

Ao analisar um comportamento de birra, faça as seguintes perguntas: O que está levando meu filho a se comportar assim? Em que momentos ele faz birra? Esse comportamento aparece em quais situações? Como costumo reagir a esse comportamento?

Ao analisar o contexto, você tem melhores condições de ajudar o seu filho, e também de manter seu equilíbrio emocional, não perdendo o controle e agindo de maneira mais assertiva.

*Deixar a criança acalmar para depois orientá-la

Tentar falar com a criança que está em uma crise de raiva não é nada útil. O ideal é deixa-la se acalmar para depois poder conversar com ela, até porque nessa situação será impossível ela ouvir ou aprender alguma coisa.

*Estabeleça vínculo com seu filho

Estabelecer vínculo é ter tempo de qualidade, estando presente e participando da vida da criança. É caminhar junto, construir intimidade, aprender a ler seu comportamento para que possa compreender sua maneira de ser e de se comportar.

Quando os pais estão atentos a essas questões, estão cuidando do seu relacionamento com seus filhos. Uma boa relação favorece o emocional tanto da criança quanto do adulto,por outro lado, uma mau relacionamento, pode trazer consequências  como agressividade, mau-humor, tensão, tristeza, entre outras.

*Ensine-o a expressar seus sentimentos

Nenhuma criança nasce sabendo expressar seus sentimentos. Ter equilíbrio emocional, saber expressar suas necessidades e desejos de maneira adequada, é um processo de aprendizado a longo prazo.

Quando uma criança passa por uma situação de birra por exemplo, depois que ela se acalmar, você pode abrir espaço para que ela fale dos seus sentimentos e depois vocês podem combinar maneiras que a criança pode utilizar para expressar suas necessidades.

*Estabeleça regras e limites de forma clara e consistente

As regras devem ser vistas como uma oportunidade de aprendizado, não como punição. |utilize-as de forma clara, sempre respeitando a idade e o desenvolvimento de cada criança.

Estabelecer muitas regras pode sobrecarregar as crianças. Moderação é essencial. Sempre lembrando que as regras não são para limitar as crianças, mas para melhor orientá-las.

Se tratando de crianças muito pequenas, é preciso lembrar que as mesmas não decoram as regras com tanta facilidade,por isso, os pais terão que sempre estar lembrando das regras aos filhos. Muita paciência e empatia por parte dos pais  é fundamental.

*Mantenha o equilíbrio emocional

Ter controle de suas emoções é fundamental para que você possa dar segurança e melhor orientar a criança.

Os pequenos ficam bem assustados quando tem uma crise de raiva, por exemplo, quando sentem que os pais estão mantendo a calma, eles tem mais chances de se acalmarem mais rápido.

*Autoconhecimento

Conhecer sua maneira de ser e se comportar no mundo, aprender como funciona suas emoções e como lidar com as mesmas, poderá ajudar os pais de forma favorável quando tiverem que orientar os filhos, em relação as próprias emoções.

 

Como diz a expressão, “desde que o mundo é mundo” crianças fazem birra. Ensinar novos repertórios de comportamento é uma responsabilidade de cada adulto para com a criança.

Deixe o seu comentário!*

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. LEIA OS TERMOS DE USO.

  • Especialidades

  • Pais e filhos

  • Autoconhecimento

  • Projetos

  • Contato

  • Adriana Fernandes da Silva
    CRP 04/39812

     

    Tel.: |31| 9 9722-0257

     

    Rua dos Guajajaras, 880
    sala 1701
    Lourdes
    Belo Horizonte – MG

     

    ATENDIMENTO

    Quintas-feiras
    das 08:00 as 12:00 e das 13:30 as 18:00.
    Sextas-feiras
    das 14:00 as 17:00.

     

     

  • Redes sociais

  • Facebook
  • Nome
    E-mail
    Telefone
    Mensagem

    Copyright © 2017-2021 - Psicóloga Adriana Fernandes