Psicóloga Adriana Fernandes » Autoconhecimento » Você tem medo de quê?

Você tem medo de quê?

Por Adriana Fernandes   |   Publicado: 21/02/2019 às: 17:47   |   Atualizado: 20-07-19 às: 21:31

 

 

Recuar… Recuar… Recuar… Muitas vezes essa é a sensação que se tem quando se está diante de algo novo ou em determinada situação onde se acredita não haver habilidade suficiente para lidar com determinado problema.

As mãos suam, o coração dispara, as pernas tremem, a cabeça chega a doer. Falta ar nos pulmões, a pessoa sente-se paralisada e perguntas como, Será que serei aceito? Vou conseguir apresentar aquela palestra?  Será que ele (a) me achará uma pessoa interessante? E se meu filho não gostar da festa surpresa que preparei para ele?

Tantas incertezas e mais uma tonelada de outras sensações ou sentimentos que é possível sentir. E a vontade que se tem é de recuar, fugir, esquivar-se de tal situação. Tudo porque não damos conta de vivenciar tais sentimentos. Chega a ser aversivo.

Sentir medo é de certa forma natural, pois faz parte da vida. Todos nós, eu e você uma hora ou outra, iremos sentir tais sensações no decorrer da vida, pois somos humanos, e vivenciar isso faz parte da nossa caminhada. Uma coisa é certa, nem sempre teremos o controle total das coisas.

Muitas vezes será preciso arriscar, ir em frente para ver o que vai dar e na maioria das vezes, essa atitude poderá gerar um sentimento de desconforto, angústia e até mesmo de insegurança.

O medo, por exemplo, é um sentimento que é inerente ao ser humano e até certo ponto, torna-se nosso aliado nos protegendo até mesmo de situações de perigo.

Imagine se uma pessoa que não sabe nadar, não sentisse medo, por exemplo, de se adentrar ao mar ou se você não sentisse medo ao pular de um penhasco? Você pode estar se perguntando, mas em que circunstância, ou melhor, dizendo, em que momento se pode considerar o medo como algo prejudicial? É justamente quando esse medo lhe paralisa e o impede de realizar tudo o que você gosta ou almeja alcançar.

Quando se chega a esse ponto, é preciso primeiramente que a pessoa que está passando por tal situação reconheça que precisa de ajuda e busque por ajuda.

Em alguns casos é preciso até mesmo uma orientação de um profissional que lhe ajude a lidar com suas emoções, pois a tendência é que a pessoa passe a ver e sentir essas barreiras invisíveis, porém, reais, como algo intransponível, o que acaba levando a pessoa a não tentar novamente, tornando-se angustiada, triste, sempre carregando aquele sentimento de fracasso.

Se você tem sentido sensações semelhantes que tem lhe impedido de ousar mais, fazer as coisas que realmente gosta, não tenha vergonha ou receio de procurar ajuda, pois tudo o que você sonha, deseja fazer, realizar, pode estar atrás dessa parede chamada Medo.

Cabe a você e digo somente a você continuar recuando ou decidir dar um passo à frente. Você só saberá o resultado final se tentar. Tal tentativa poderá ser um abrir maravilhoso para outros horizontes e novas experiências.

 

No Lugar do medo, da ansiedade, tenha um pensamento positivo. Escolha ser autoconfiante…

 

O interessante da autoconfiança é que ao contrário do medo e da ansiedade que tanto nos paralisa, ela nos convida a ir adiante. E mesmo que tudo esteja escuro e nos sentirmos perdidos, a autoconfiança será nossa lanterna que nos guiará, nos fortalecerá em momentos de angústia e aflição.

 

Como posso ser mais autoconfiante?

 

A autoconfiança está relacionada aos comportamentos bem sucedidos. Quanto mais você for assertivo em seus comportamentos mais confiante você será.

Talvez você seja uma dona de casa e por algum motivo não pode trabalhar fora, mas tem vontade de montar seu negócio próprio e começar a ganhar uma grana e quem sabe, a única coisa que tem impedido você de colocar seu projeto para funcionar, seja justamente o medo de não dar certo ou não dar conta. Mas você decide colocar em prática seu projeto.

Você se prepara e com o passar do tempo vai ganhando experiência, compreendendo como funcionam os negócios e com isso vai ganhando autoconfiança.

Quem sabe você tem o sonho de se tornar uma escritora ou escritor, mas tem receio de postar seu conteúdo, ou acredita que ninguém irá gostar de ler o que você escreve. Você pode, por exemplo, criar um blog, ou uma página em uma rede social para começar a mostrar seu talento. As pessoas começam a ler seu conteúdo, você começa a receber feedbacks positivos, vai fazendo os ajustes necessários e então, você decide fazer um blog e quem sabe mais tarde poderá até mesmo escrever um livro.

 

Qualquer comportamento bem sucedido aumenta a nossa autoconfiança.

 

É muito importante sempre estarmos desafiando a nós mesmos para irmos em busca do que desejamos.

Muitos adultos são inseguros, mas se formos olhar seu histórico de vida, percebe-se que muitas vezes essa insegurança vem desde a infância. Eram crianças inseguras, adolescentes inseguros, jovens inseguros e por fim, adultos inseguros.

Porém, é possível trabalhar a insegurança na fase adulta também.  Se esse adulto for incentivado a produzir comportamentos mais assertivos isso certamente irá melhorar sua autoconfiança.

 

A autoconfiança pode ser despertada de diversas formas, por exemplo, imagine que você dona de casa queira ganhar uma renda extra, fazendo brigadeiros, porém, você nunca fez um doce. Então você começa a se preparar. Faz um curso ou aprende com alguém que saiba fazer brigadeiro.

Hoje em dia, há muitas pessoas ensinando alguma coisa nas redes sociais. Então, você aprende a fazer o doce e vai logo comercializa-lo? Não. Primeiro para ver como está sua habilidade para fazer brigadeiros, você distribui alguns entre seus familiares e amigos para ver se eles aprovam. Digamos que você tenha um feedback muito positivo deles. Certamente irá sentir-se mais segura para começar a comercializar os seus brigadeiros.

Consegue perceber? Primeiro é preciso fazer, realizar, pois quanto mais se faz algo, mais habilidade vai se adquirindo e, portanto mais confiante a pessoa vai se tornando.

Esteja atento ao que está a sua volta. O medo nos envolve em uma redoma, nos impede de enxergar além, limita nossa visão de mundo.

O medo a todo instante sussurra em nossos ouvidos que não vai dar certo, que já não tem mais jeito, que não se tem mais idade para começar tal projeto. Será? Será que realmente não há mais nada o que fazer? Será que não vale à pena tentar mais uma vez?

É importante lembrar que nunca devemos tomar decisões precipitadas. Sempre é importante avaliarmos a situação como um todo. O problema é quando ficamos esperando estarmos totalmente prontos para fazer algo, e isso, nem sempre irá acontecer.

 

Não desista diante do primeiro obstáculo.

 

Se tiver que retornar, seguir por outro caminho, desistir de algo que gostaria tanto, tudo bem, às vezes é necessário fazer isso, porém, isso não quer dizer que outras oportunidades não virão. O que você não pode permitir é que o medo, a insegurança, a timidez ou qualquer outra coisa te impeça de fazer coisas interessantes e que você acredita serem importantes.

Não tenha medo de seguir adiante, de ser quem você realmente é. Deixe florir sua essência. Seja autêntico com você mesmo, não fique preso a opinião dos outros. Traga para seu convívio pessoas que te queiram bem, que acrescentem na sua vida, que te faça crescer como pessoa.

 

O novo assusta? Sim, assusta e muito. Porém, recuar pode ser devastador. Pois a frustração de nunca ter tentado sempre irá persegui-lo.

 

Sempre ouvimos que a vida não é um mar de rosas… E realmente não é. Cada um de nós está trilhando uma jornada. Iremos passar por momentos difíceis e até mesmo dolorosos. Mas o que eu irei fazer desses momentos? É justamente isso que fará toda a diferença.

Muitas vezes, somos cercados por um turbilhão de pensamentos. Muitos desses pensamentos são negativos, pessimistas. Não dê muito ouvido a eles. Deixe que os pensamentos positivos fluam, deixe-os ser a melodia que irá conduzir você aos seus projetos de vida.

Mude sua maneira de ser e de ver o mundo! Pequenas mudanças no dia a dia fazem toda a diferença. Muitas vezes, queremos mudanças radicais, que tudo se transforme de um dia para o outro. Você pode começar mudando pequenos hábitos que estão sendo prejudiciais a sua vida.

Siga em frente e lembre-se…

Do outro lado do medo…

Está tudo aquilo que você tanto almeja…

Seus planos, desejos e vontades!

Do outro lado do medo está o desejo de conquistar o tão sonhado emprego, de viajar e conhecer novos mundos!

Do outro lado do medo está a vontade de conhecer alguém especial, de apresentar aquela tão sonhada palestra ou de se envolver em um grande projeto.

Do outro lado do medo… A tanta coisa que você deseja, anseia viver!

Quando a incerteza se fizer presente, dê um passo…

Quando o medo vier lhe assombrar. Insista e dê outro passo.

Se encontrar uma porta fechada, atreva-se a abri-la.

Caminhe, mesmo diante dos temores e das dificuldades.

Insista, mesmo que todos digam que não existe mais solução.

Do que você tem medo? Quais são seus temores? Suas dificuldades?

Conheça mais sobre você, seus receios e temores, mas não para ficar se lamentando pelo caminho ou para se paralisar diante deles, mas para superá-los. Para aprender como lidar com eles, para vencê-los. Para ter a certeza que você está no controle.

Quais são suas habilidades? Procure desenvolve-las da melhor maneira possível. Pode ser um grande ponto de partida para sua caminhada.

Qual é o seu desejo? O que faz o seu coração pulsar mais forte?

Ao invés de concentrar seus pensamentos apenas em seus temores, deixe os pensamentos positivos tomarem conta da sua mente e comece a ver as coisas como uma grande possibilidade.

 

Olhe para frente e prossiga! Dê um passo de cada vez rumo ao seus objetivos.

 

Tenha responsabilidade, compromisso com você mesmo. À medida que mudamos a nós mesmos, quando trabalhamos nossos sentimentos e cuidamos de nós as coisas tem maior chance de acontecerem.

 

O que pode ser maior que sua vontade e determinação?

 

A verdade é que o novo de alguma forma sempre irá nos assustar. A ansiedade vai fazer nossas mãos suarem e nossas pernas tremerem diante de uma situação nova.

Precisamos aprender a não ficarmos escravos dos nossos sentimentos. Portanto, se estiver como medo, vá com medo mesmo, mas não deixe que tais sentimentos lhe paralise e o impeça de avistar novos horizontes.

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá eu amo o cabeçalho do seu blog, é uma criação pessoal? Adey Connie Dibru

Deixe o seu comentário!*

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. LEIA OS TERMOS DE USO.

  • Especialidades

  • Pais e filhos

  • Autoconhecimento

  • Projetos

  • Contato

  • Adriana Fernandes da Silva
    CRP 04/39812

     

    Tel.: |31| 9 9722-0257

     

    Rua dos Guajajaras, 880
    sala 1701
    Lourdes
    Belo Horizonte – MG

     

    ATENDIMENTO

    Quintas-feiras
    das 08:00 as 12:00 e das 13:30 as 18:00.
    Sextas-feiras
    das 14:00 as 17:00.

     

     

  • Redes sociais

  • Facebook
  • Nome
    E-mail
    Telefone
    Mensagem

    Copyright © 2017-2020 - Psicóloga Adriana Fernandes